Páginas

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

CAMPANHA NACIONAL CONTRA A VIOLÊNCIA E O EXTERMÍNIO DE JOVENS

O que é a Campanha?
É uma ação articulada de diversas organizações para levar a toda sociedade o debate sobre as diversas formas de violência contra a juventude, especialmente o extermínio de milhares de jovens que está acontecendo no Brasil. Com isso, a Campanha objetiva avançar na conscientização e desencadear ações que possam mudar essa realidade de morte.


Como começou?
A Campanha nasceu da reflexão da 15ª Assembléia Nacional das Pastorais da Juventude do Brasil (ocorrida em maio de 2008), fruto da indignação crescente dos/as delegados/as presentes naquela assembleia e da revolta ante ao crescente número de mortes de jovens no campo e na cidade, em todos os cantos do país.



Quem a promove?
As Pastorais da Juventude do Brasil (Pastoral da Juventude, Pastoral da Juventude Estudantil, Pastoral da Juventude do Meio Popular e Pastoral da Juventude Rural). Com o objetivo de unir forças na defesa da vida da juventude, várias outras organizações estão se juntando como parceiras da Campanha.

Para que você possa efetivar e trabalhar melhor a temática da Campanha, estão disponíveis para download os seguintes materiais: logotipo, cartaz, adesivo e folheto em arquivos, JPG, PDF e Corel Draw.
Basta escolher o item abaixo e entrar na parte de download do nosso site.
Logotipo em Corel Draw e Logotipo em PDF;

Adesivo em PDF e Adesivo em Corel Draw;

Cartaz em PDF; Cartaz em Corel Draw e Cartaz em JPG;

Folheto em PDF e Folheto em Corel Draw;
Também estão disponíveis para download alguns materiais de diversos locais do país, de pessoas que pesquisam e trabalham com juventude, além de pesquisas e relatórios do governo e de ONGs sobre a temática de violência contra os jovens.
Como participar?

- Fazendo a discussão no grupo de jovens, na escola, na universidade, no trabalho, na família... (textos, indicações de filmes e livros disponíveis no site: www.juventudeemmarcha.org.br).

- Participando dos seminários estaduais que acontecerão em 2010.

- Ajudando na organização das Atividades Permanentes de 2010 (Semana da Cidadania, Semana do/a Estudante, Dia Nacional da Juventude), cujos temas estarão em sintonia com a Campanha.
Contato
Coordenação Nacional da Campanha
Email: contraviolencia.pjb@gmail.com
Site: http://www.juventudeemmarcha.org/

ENDEREÇO: Avenida Leovigildo Filgueiras, 270, Garcia. CEP 40.100-000. Salvador/ BA. Tel. – (71) 40096616 (71) 40096618 (71) 96124859 (71) 88563012.
Juventude em Marcha Contra a Violência!

Chega de violência e extermínio de jovens!

CF 2010 promove a Economia em favor da vida





"Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro" (Mt 6,24). Este é o lema da Campanha da Fraternidade (CF) 2010 que abordará o tema "Economia e Vida", com o objetivo de promover uma economia a serviço da vida, sem exclusões e criando uma cultura de solidariedade e paz. A CF de 2010, de caráter ecumênico, está sob a responsabilidade do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs no Brasil (CONIC).
O Reverendo Luiz Alberto Barbosa, do CONIC, disse que "o intuito é mostrar para a sociedade que as igrejas, mesmo com denominações diferentes, estão unidas no mesmo ideal de fraternidade e solidariedade". A proposta é trabalhar no conceito de inclusão social em favor de uma economia que gere a vida e não a morte, comento o religioso.
O lançamento da CF 2010 foi realizado no último mês de setembro e, embora a abertura oficial seja no dia 17 de fevereiro de 2010, as atividades já começaram. O reverendo informa que, pelas igrejas em todo o Brasil, já estão sendo realizadas oficinas de capacitação sobre o tema da campanha. "Na campanha propriamente dita haverá celebrações internas nas igrejas", esclarece.
A campanha terá atividades até o dia 28 de março, Domingo de Ramos, dia em que, segundo o reverendo, será feita a Coleta Ecumênica da Solidariedade nas igrejas. O dinheiro arrecadado será revertido ao Fundo Ecumênico de Solidariedade que deve destinar recursos a projetos sociais que podem receber valores entre R$ 10 mil e R$ 50 mil reais.
O reverendo comenta que, durante o período da Quaresma, é importante praticar a solidariedade e refletir sobre o tipo de economia que desejamos para a nossa vida. Ele também enfatiza a importância de que todas as pessoas, independente de seu credo religioso, reflitam sobre a questão da economia, já que ela faz parte da vida mesmo antes do nascimento. "A Economia está presente desde a gestação até a morte", resumiu.
De acordo com o texto base da campanha, a economia existe para a pessoa e para o bem comum, e não as pessoas para a economia. O Reverendo Luiz Alberto comentou que a proposta da Campanha da Fraternidade é transformar o coração e a vida das pessoas de boa vontade em relação ao dinheiro. "O dinheiro não é o mais importante".
"O dinheiro deve ser usado para servir ao bem comum das pessoas, na partilha e na solidariedade", expressa o texto base da CF. A vida econômica deveria ser orientada por princípios éticos e não apenas pelo consumo desvairado e lucro a qualquer preço.

Ele disse ainda que 2010 será um ano importante para o Brasil, já que é um ano eleitoral, com eleições para vários cargos nos legislativos estaduais e federal. "A questão econômica é o ponto central de uma campanha eleitoral. Cabe a nós percebermos o que é bom ou ruim, de acordo com as propostas, para escolhermos qual tipo de economia queremos".

"O apelo é que todos se conscientizem e pensem antes de votar, porque ao voltarmos, estamos escolhendo um modelo econômico", finalizou o Reverendo.

domingo, 27 de dezembro de 2009

FOTOS DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL DA PJ

2010 é proclamado Ano Internacional da Juventude pela ONU

A partir de 12 de agosto de 2010, a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou o ano Internacional da Juventude, buscando impulsionar a participação plena e efetiva dos jovens em todos os aspectos da sociedade.

Essa decisão foi tomada pela Assembléia Geral da ONU em uma resolução que convoca governos, instituições, comunidades e indivíduos de todo o mundo para respaldar as atividades que serão desenvolvidas em nível local e internacional neste sentido.
O tema do Ano Internacional da Juventude será ‘Diálogo e entendimento mútuo’ com a finalidade de promover a prática desses conceitos, os ideais de paz, respeito aos direitos humanos, às liberdades e à solidariedade.
As ações deste evento culminarão a realização dos Jogos Olímpicos da Juventude que acontecerão em Cingapura de 14 a 26 de agosto.
Haverá também o Quinto Congresso Mundial de Juventudes (Istambul) e uma Conferência Mundial da Juventude (México), ambas em agosto para tentar analisar o papel dos jovens na construção do desenvolvimento sustentável e dos Objetivos do Milênio estipulados pela ONU.

Fonte: Agência Bolivariana de Notícias

Carta da PJ aos Jovens por ocasião do Natal e Ano Novo

"Anuncio-vos uma grande notícia, hoje nasceu o Salvador" (Lc 2,10)






Queridos/as Jovens e Assessores/as



O tempo passou e já estamos nos fins de 2009. 2010 está batendo à porta chamando-nos e querendo chegar. Nós, da Coordenação e Assessoria Nacional da PJ, nos dirigimos, por isso, a cada um/a de vocês através dessa simples carta.



A cada final de ano somos convidados/as a realizarmos três grandes coisas: Fazer Memória, Sonhar e Celebrar.



Ao olharmos para o ano de 2009 podemos, com certeza, afirmar que vivemos muitas coisas: umas alegres e outras tristes, mas todas com muita intensidade e amor. Como foi bonito saber de tantos e tantos Grupos de Jovens que nasceram e de outros que se fortaleceram; abrir 2009 com o Encontro Nacional da PJ em Natal/RN; ver jovens e mais jovens, motivados/as pelas atividades permanentes de 2009 e pela Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens, irem às ruas em Marcha Contra a Violência; ver os/as jovens celebrando o Dia Nacional da Juventude; ver o Lançamento da Campanha Nacional Contra Violência e Extermínio de Jovens; celebrar os 30 anos de opção pelos/as jovens no Seminário Nacional dos 30 anos de Puebla. Muito bom.



Por outro lado, como doeu a partida de Gisley e tantos/as que doaram suas vidas pela causa da Juventude. Como doeu e dói ver tantos/as jovens morrerem.



Como foi bom escutar a Juventude dentro do projeto de revitalização da Pastoral Juvenil da América Latina.



Como é bom saber que, em vários lugares, pessoas, organizações, grupos e entidades estão lutando pela Vida da Juventude. Como é bom fazer memória de nossas Vidas.



E sabe o que mais marcou esse ano? O ROSTO dos/as JOVENS de nossa Casa-Brasil, que ousam Sonhar...



Às vésperas de 2010 nos colocamos a sonhar. E sonhamos com um ano onde a Vida seja mais, onde o Amor aconteça, onde o Reino de Deus seja de fato e onde a Civilização do Amor aconteça...



Sonhamos com Vida plena para todos/as e para a Juventude; com uma Semana da Cidadania que ajude a dizer que o trabalho é para a vida e não para a Morte; com uma Semana do Estudante que possibilite uma reflexão sobre nossa memória, nossa cultura, nossa Casa; com o DNJ que seja para dar graças pelo seu Jubileu de 25 anos, para fazer memória, para sonhar e para celebrar da Vida da Juventude; com atividades permanentes que fortaleçam a Campanha Contra a Violência e o Extermínio de jovens, convidando a juventude à ir em marcha pela Civilização do Amor. Desejamos que a Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens seja assumida, fortalecida e efetivada para que a Vida da Juventude seja abundante e plena.



2010 nos reserva muitas coisas boas: Semana da Cidadania, Semana do Estudante, Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens, Encontro Nacional de Assessores/as da PJ, Atividades de Formação aos Jovens, Retiros, Romarias, Congressos, Seminários, Missões Jovens. Em 2010 continuaremos, também, a publicar mensalmente um Ofício Divino em memória de Gisley e de pessoas e jovens que doaram suas Vidas. Sonhamos com o pleno Seguimento de Jesus Cristo e com o Reino de Deus. Sonhemos com 2010.



Final de ano é igualmente tempo de celebrar. Celebrar a memória do ano que se finda; celebrar o ano que se inicia; celebrar a vida em comunidade e em grupo; celebrar a vida; celebrar o Reino de Deus; celebrar a Civilização do Amor; celebrar a vida da Juventude; celebrar a chegada do Menino-Deus que veio e que vem; celebrar os sonhos; celebrar o Seguimento de Jesus Cristo; celebrar o Amor de Deus; celebrar o Natal e o Ano Novo.



É por isso que, neste final de ano, convidamos a cada um/a a Fazer Memória, à Sonhar e à Celebrar! Que a Chegada do Menino Deus renove em nós a Esperança, o Amor, a Fé, o Seguimento de Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida! Feliz Natal a cada um/a de vocês! Que 2010 seja um “Tempo da Graça de Deus” e um tempo em que a Vida seja Vida em abundância para todos/as. Feliz Ano Novo a cada um/a de vocês!





Abraços fraternos,



Coordenação Nacional da PJ

Comissão Nacional de Assessores/as da PJ

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Anchietanum: programação 2010 e desejos para o natal‏





www.anchietanum. com.br

O Que é o Natal?

Eu, menino, sentado na calçada, sob um sol escaldante, observava a movimentação das pessoas em volta, e tentava compreender o que estava acontecendo.

Que é o Natal? Perguntava-me, em silêncio.

Eu, menino, ouvira falar que aquele era o dia em que Papai Noel, em seu trenó puxado por renas, cruzava os céus distribuindo brinquedos a todas as crianças.

E por que então, eu, que passo a madrugada ao relento nunca vi o trenó voador? Onde estão os meus presentes? Perguntava-me.

E eu, menino, imaginava que o Natal não deveria ser isso.

Talvez fosse um dia especial, em que as pessoas abraçassem seus familiares e fossem mais amigas umas das outras.

Ou talvez fosse o dia da fraternidade e do perdão.

Mas então por que eu, sentado no meio-fio, não recebo sequer um sorriso? Perguntava-me, com tristeza. E por que a polícia trabalha no Natal?

E eu, menino, entendia que não devia ser assim...

Imaginava que talvez o Natal fosse um dia mágico porque as pessoas enchem as igrejas em busca de Deus.

Mas por que, então, não saem de lá melhores do que entraram?

Debatia-me, na ânsia de compreender essa ocasião diferente.

Via risos, mas eram gargalhadas que escondiam tanta tristeza e ódio, tanta amargura e sofrimento...

E eu, menino, mergulhado em tão profundas reflexões, vi aproximar-se um homem...

Era um belo homem...

Não era gordo nem magro, nem alto nem baixo, nem branco, nem preto, nem pardo, nem amarelo ou vermelho.

Era apenas um homem com olhos cor de ternura e um sorriso em forma de carinho que, numa voz em tom de afago, saudou-me:

Olá, menino!

Oi!... respondi, meio tímido.

E, com grande admiração, vi-o acomodar-se a meu lado, na calçada, sob o sol escaldante.

Eu, menino, aceitei-o como amigo, num olhar. E atirei-lhe a pergunta que me inquietava e entristecia:

Que é o Natal?

Ele, sorrindo ainda mais, respondeu-me, sereno:

Meu aniversário.

Como assim? Perguntei, percebendo que ele estava sozinho.

Por que você não está em casa? Onde estão os seus familiares?

E ele me disse: Esta é a minha família, apontando para aquelas pessoas que andavam apressadas.

E eu, menino, não compreendi.

Você também faz parte da minha família... Acrescentou, aumentando a confusão na minha cabeça de menino.

Não conheço você! eu disse.

É porque nunca lhe falaram de mim. Mas eu o conheço. E o amo...

Tremi de emoção com aquelas palavras, na minha fragilidade de menino.

Você deve estar triste, comentei. Porque está sozinho, justo no dia do próprio aniversário...

Neste momento, estou com você! Respondeu-me, com um sorriso.

E conversamos...uma conversa de poucas palavras, muito silêncio, muitos olhares e um grande sentimento, naquela prece que fazia arder o coração e a própria alma.

A noite chegou... E as primeiras estrelas surgiram no céu.

E conversamos... Eu, menino, e ele.

E ele me falava, e eu O entendia. E eu O sentia. E eu O amava...

Eu, menino: sou as cordas. Ele: o artista. E entre nós dois se fez a melodia!...

E eu, menino, sorri...

Quando a madrugada chegou e, enquanto piscavam as luzes que iluminavam as casas, Ele se ergueu e eu adivinhei que era a despedida. E eu suspirava, de alma renovada.

Abracei-O pela cintura, e lhe disse: Feliz aniversário!

Ele ergueu-me no ar, com Seus braços fortes, tão fortes quanto a paz, e disse-me:

Presenteie-me compartilhando este abraço com a minha família, que também é sua... Ame-os com respeito. Respeite-os com ternura, com carinho e amizade. E tenha um feliz Natal!

E porque eu não queria vê-lo ir-se embora, saí correndo em disparada pela rua. Abandonei-O, levando-O para sempre no mais íntimo do coração...

E saí em busca de braços que aceitassem os meus...



enviado por Thiago Oliveira



"ESTOU PREPARANDO A MINHA ÁRVORE DE NATAL. "

"Quero que ela seja viva, mas não quero que seja exterior. Eu a quero dentro de mim. Tenho medo das exterioridades. Elas nos condenam. Ando pensando que o silêncio do interior é mais convincente que o argumento da palavra.Quero que minha árvore seja feita de silêncios. Silêncios que façam intuir felicidade, contentamento, sorrisos sinceros.Neste Natal não quero mandar cartões. Tenho medo de frases prontas. Elas representam obrigação sendo cumprida. Prefiro a gratuidade do gesto, o improviso do texto, o erro de grafia e o acerto do sentimento.
A vida é mais bonita no improviso, no encontro inesperado, quando os olhares se cruzam e se encontram.Quero que minha árvore seja feita de realidades. Neste Natal quero descansar de meus inúmeros planos. Quero a simplicidade que me faça voltar às minhas origens. Não quero muitas luzes. Quero apenas o direito de encontrar o caminho do presépio para que eu não perca o menino Jesus de vista. Tenho medo de que as árvores muito iluminadas me façam esquecer o dono da festa.Não quero Papai Noel por perto. Aliás acho essa figura totalmente dispensável!
Pode ficar no Pólo Norte desfrutando do seu inverno. Suas roupas vermelhas e suas barbas longas não combinam com o calor que enfrentamos nessa época do ano. Prefiro a presença dos pastores com seus presentes sinceros.Papai Noel faz muito barulho quando chega. Ele acorda o menino Jesus, o faz chorar assustado. Os pastores não. Eles chegam silenciosos. São discretos e não incomodam...Os presentes que trazem nos recordam a divindade do menino que nasceu. São presentes que nos reúnem em torno de uma felicidade única. O ouro que brilha, o incenso que perfuma o ambiente e a mirra com suas composições miraculosas.O papai Noel chega derrubando tudo. Suas renas indisciplinadas dispersam as crianças, tiram a paz dos adultos. Os brinquedos tão espalhafatosos retiram a tranquilidade da noite que deveria ser silenciosa e feliz.
O grande problema é que não sabemos que a felicidade mais fecunda é aquela que acontece no silêncio.É por isso que neste Natal eu não quero muita coisa. Quero apenas o direito de recolher o pequenino menino na manjedoura... Quero acolhê-lo nos braços, cantar-lhe canções de ninar, afagar-lhe os cabelos, apertar-lhe as bochechas, trocar-lhe as fraldas para que não tenha assaduras e dizer nos seus ouvidos que ele é a razão que me faz acreditar que a noite poderá ser verdadeiramente feliz. Neste Natal eu não quero muito. Quero apenas dividir com Maria os cuidados com o pequeno menino. Quero cuidar dele por ela. Enquanto eu cuido dele, ela pode descansar um pouquinho ao lado de José. Ando desfrutando nos últimos dias o desejo mais intenso de que a vida vença a morte.Talvez seja por isso que ando desejando uma árvore invisível.
O único jeito que temos de vencer a morte é descobrindo a vida nos pequenos espaços. Assim vamos fazendo a substituição. Onde existe o desespero da morte eu coloco o sorriso da vida. Façam o mesmo!Descubram a beleza que as dispersões deste tempo insistem em esconder. Fechem as suas chaminés. Visita que verdadeiramente vale à pena chega é pela porta da frente. Na noite de Natal fujam dos tumultos e dos barulhos. Descubram a felicidade silenciosa. Ela é discreta, mas existe! Eu lhes garanto!Não tenham a ilusão de que seu Natal será triste porque será pobre. Há mais beleza na pobreza verdadeira e assumida que na riqueza disfarçada e incoerente.

O que alegra um coração humano é tão pouco que parece ser quase nada. Ousem dar o quase nada. Não dá trabalho, nem custa muito... E não se surpreendam, se com isso, a sua noite de Natal tornar-se inesquecível. "

Padre Fábio de Melo

texto enviado por Frei Alceu Bonoatti

domingo, 13 de dezembro de 2009

JORNALTUDE. O JORNAL DE QUEM TEM ATITUDE. CONFIRAM!

FRENTE DO        JORNALTUDE



VERSO DO JORNALTUDE

      A segunda edição do Jornaltude já está sendo distribuida nos grupos de jovens da Paróquia Nossa Senhora Aparecida. A edição de dezembro traz a retrospectiva dos eventos realizados pela Pastoral da Juventude na região do Coxipó. A memória da caminhada estimula a equipe paroquial a se fortalecer e  melhorar cada vez mais.
    Para fazer parte do Jornaltude, basta enviar textos, sugestões, críticas para o email pjoteiros.aparecida@gmail.com ou marcelabrito@hotmail.com. Como o próprio jornal diz: Jornaltude, o jornal de quem tem atitude, participe e reafirme que a Juventude é atuante!

texto: Marcela Brito

sábado, 5 de dezembro de 2009

Festival Consciência Hip Hop é realizado neste fim de semana em Cuiabá


Ocorre neste sábado (05.12) o lançamento do Centro Esportivo Cultural CUFA (CECC) que atenderá a população do bairro São João Del Rey e mais cinco bairros próximos (Santa Laura, Osmar Cabral, Tijucal, Liberdade e Novo Milênio).
O CECC é um complexo para a realização de projetos de cunho esportivo e cultural. O espaço hoje conta com salas multi-uso, quadra esportiva, vestiário e um amplo espaço para o desenvolvimento de diversos projetos, como o Ponto de Cultura Pixaim e o Programa Esporte e Lazer nas Cidades (PELC).
A criação do CECC é resultado de uma parceria realizada entre a CUFA, os Ministérios de Esporte e Justiça e Prefeitura Municipal de Cuiabá.
Festival

Paralelamente ao lançamento do CECC nos dias 05 e 06 de dezembro ocorre em Cuiabá a 5ª Edição do Festival Consciência Hip Hop, que é realizado pela Central Única das Favelas de Mato Grosso. Durante o Festival participantes contarão com intensas atividades que vão desde oficinas, seminários, intervenções culturais, além de shows de Rap.

Confira a programação de shows!

05/12 - Sábado 19:00h

MANO CARECA (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

19:25h - ATOS 29 (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

19:50h - WESLEY DUGUETO (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

20:15h - FASE TERMINAL (MS) http://www.myspace.com/faseterminal

20:50h - 288 FDK (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

21:15h - FUNGOS FUNK (SP) http://www.myspace.com/fungosfunk

21:50h - EKO (GO) http://www.myspace.com/ekom79

22:25h - ATAQUE BELIZ (DF) http://www.myspace.com/ataquebeliz

06/12 – Domingo

18:30h – CONTROVERSIA (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

18:55h – ALTOS E MAIXOS (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

19:20h – DEMOSNTRO (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

19:45h – ERICK FLOW MAN (GO) http://www.myspace.com/erickflowman

20:20h – CARCARA NA VIAGEM (RN) http://www.myspace.com/carcaranaviagem

20:55h – ARCANJO (SP) http://www.myspace.com/arcanjoras

21:30h – FREE MIND (MT) http://www.myspace.com/conscienciahiphop

21:45h - LINHA DURA (MT) http://www.myspace.com/linhadura



Mais informações sobre o festival podem ser obtidas através do telefone (65) 3023-8192 ou no site.


fonte: http://www.circuitomt.com.br/

Dinâmica: A ceia do Senhor: presente de Cristo


Material: Caixa de sapatos, papel colorido, caneta, folha com perguntas

Preparar com Antecedência:

a) 1 caixa de sapatos, embrulhada como se fosse um presente, bem vistoso.

b) Dentro dela coloque pequenos presentinhos, em cores diferentes (tantas cores quantas forem os pequenos grupos que irão ser formados para discussão).

c) Estes presentinhos, podem ser simplesmente um retângulo de papel dobrado ao meio, com a frase "Eu te dou a Minha Vida!" escrita no lado interno

d) 1 carta, com o seguinte texto sugerido:
"Queridos irmãos da (nome do grupo),
Este é o meu presente para vocês, e é com muito amor que o dou.
Há um pequeno pedaço dele para cada um de vocês, peguem o seu na caixa, mas não o abram ainda!
Qual a sensação de ganhar um presente? Assim de surpresa? É bom, ruim? O que passa na sua cabeça?
E na véspera de seu aniversário? Você sabe que no dia seguinte vai ter festa, amigos, parentes... E com certeza alguns presentes. O que será que você vai ganhar? Aquilo que tinha pedido, ou vão te surpreender com algo inesperado? Como você se sente?
E este pequeno presente, o que será?


Como Fazer:

1. Inicie a dinâmica dizendo que o grupo recebeu um presente, acompanhado de uma carta que você gostaria de ler.

2. Pegue a caixa e mostre ao grupo; leia a carta, e deixe que cada um tire o seu presentinho de dentro dela.

3. Depois, peça que se dividam em pequenos grupos, de acordo com a cor do presente tirado da caixa, e que só então o abram.

4. Distribua as folhas de perguntas entre os grupos e deixe tempo suficiente para conversarem sobre cada questão.

5. Sugestões de perguntas:
- Qual a sua reação ao abrir este pequeno presente?
- Leia: Mateus 26, 26-30 e I Coríntios 11, 23-29 Quem deu a sua vida? Para quê? De que forma?
- Quando vamos a igreja, participar da Santa Ceia, como nos comportamos, o que sentimos, como agimos?
- No que a Santa Ceia é igual a ganhar um presente? No que é diferente?
- Precisamos fazer alguma coisa especial para ganhar este presente de Cristo?
Conclusão:
Depois deste momento, reuna todo o grupo e converse novamente sobre cada uma das questões, enfatizando as diferenças entre a alegria do perdão e o peso/tristeza de nossos pecados. A possibilidade de confessar a Deus, se arrepender e receber, gratuitamente o grande presente da vida de Cristo.

http://www.pjmaringa.com.br/v9/pj-dinamicas/215-a-ceia-do-senhor-presente-de-cristo.html

Uma vida sen violência é Direito da Mulher!



Tome uma atitude


Podemos fazer a diferença



Uma vida sem violência é um direito das mulheres. Uma legislação que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra as mulheres, como é a Lei n. 11.340/06 (Lei Maria da Penha), é uma conquista de todas nós.



Há diversas datas e documentos importantes que refletem o resultado de ações e atitudes de milhares de ativistas e defensoras dos direitos das mulheres no Brasil e no mundo afora. A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres convida as pessoas, organizações e governos a se comprometerem para acabar com a violência contra as mulheres e tomar uma atitude nesse sentido. Cada compromisso assumido – seja uma promessa pessoal, uma lei local ou nacional, uma convenção ou resolução internacional, ou a Plataforma de Ação de Beijing – deve ser considerado como uma promessa as mulheres. JÁ É O MOMENTO de tornar realidade essas promessas.



Cada ação, não interessa a sua dimensão, pode fazer a diferença para o fim da violência contra as mulheres! Tome uma atitude.



Sugestões de ações e atitudes que podem fazer a diferença para o fim da violência contra as mulheres



Se você não conhece a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres clique em: link para informações básicas da Campanha



Seguem algumas sugestões de atitudes para fazer a diferença no combate à violência contra as mulheres. Por favor, divulgue e mantenha-nos informadas sobre suas atitudes e mobilizações! Link para postar informações ou mandar email para registro das atividades / eventos





Mude sua atitude.

Divulgue o problema da violência contra as mulheres e a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Organize um evento ou atividade da Campanha 16 Dias de Ativismo.

Junte-se a uma rede, lista ou comunidade virtual.

Mobilize homens, rapazes e meninos para participarem dos eventos e atividades da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Faça advocacy (incidência política) junto aos governos.

Participe das atividades e eventos da Campanha e de organizações de combate à violência contras as mulheres.

Envolva a mídia.

Comemore as datas marco da Campanha 16 Dias de Ativismo e aniversários de conquistas importantes na luta pela igualdade entre mulheres e homens.

Exija seus direitos!

http://www.campanha16dias.org.br/ed2009/campanha/tome-uma-atitude/

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Com espírito de muita alegria e amizade aconteceu na noite do dia 28 de novembro em São Paulo, o lançamento do DVD de treinamento do Curso de Dinâmica para Líderes – CDL 1º Nível. O evento contou com a participação de cerca de 80 pessoas vindas de várias partes do país, dentre elas representantes de pastorais, movimentos, Centros e institutos de juventude, organizações que trabalham com juventude.
Vale ressaltar também a presença do Pe. Augusto Rios Rocha, da Nicarágua, que hoje exerce a função de secretário executivo do CELAM – família, vida e juventude, e da equipe da Verbo Filmes, representada pelo Pe. Cirineu Kuhn e Gaspar Guimarães.

O DVD de Treinamento facilitará o processo de preparação do CDL em nível local. Trata-se de uma experiência única e inovadora na pastoral no Brasil. Agora temos não somente o livro do CDL mas, também, a possibilidade de visualizar a aplicação das diferentes dinâmicas e palestras, e captar emocionalmente o potencial de renovação deste instrumento pedagógico para fortalecer a Pastoral da Juventude e outras pastorais e movimentos. É uma versão visual do curso, com dicas e depoimentos de pessoas com larga experiência neste campo. Poderá também acompanhar o curso em ação, obtendo uma idéia geral e espacial daquilo que lemos no livro. Com ele, a preparação pode se tornar menos trabalhosa.
O CDL é uma ferramenta de evangelização da juventude e de treinamento de líderes, é o curso mais conhecido e multiplicado no Brasil. Há equipes reproduzindo o curso em mais de 70 dioceses e presentes em quase todos os estados.
 
O CCJ produziu este novo subsídio de cerca de 100 minutos de duração em parceria com a Verbo Filmes e no ano que vem será lançado o DVD do CDL 2º Nível. Vamos aguardar!!!

PARA O LANÇAMENTO DO DVD TEMOS AS SEGUINTES PROMOÇÕES:
01 unidade: RS 37.00 (cada)
05 unidades: R$ 25.00 (cada)
Multiplicadores (monitores) preparando para reproduzir o CDL: R$ 15.00 (cada)
Não esquecendo que se você não tem o livro do CDL é importante que tenha em mãos e utilize-o junto com o DVD.
OS VALORES PROMOCIONAIS DE VENDA DO LIVRO SÃO:
01 Unidade:  R$ 20,00 (cada)
Acima de 10 unidades: R$ 15,00 (cada)
Acima de 20 unidades: R$ 14,00 (cada)
 







 



terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Pastorais da Juventude do Brasil (PJ, PJE, PJR, PJMP) divulgam temas e lemas das Atividades Permanentes de 2010




As Atividades Permanentes são parte da ação evangelizadora do conjunto das PJ´s. Possuem caráter ecumênico e missionário e pretendem ser parte de processos de mobilização e nucleação de grupos juvenis nos diversos espaços eclesiais, escolares e populares. As Atividades Permanentes dialogam sempre com o tema da Campanha da Fraternidade, privilegiando a ligação orgânica da ação das Pastorais da Juventude com o caminho das reflexões da Igreja no Brasil e aprofundando o tema a partir da perspectiva juvenil.


Em 2010, as Pastorais da Juventude propõe que as Atividades Permanentes desdobrem o desafiante tema da CF, Economia e Vida; dialoguem com a Campanha Nacional contra a violência e o extermínio de Jovens e também com o jubileu de 25 anos da celebração do Dia Nacional da Juventude.


Abaixo, confira os temas das Atividades Permanentes 2010 e suas datas. Agende e prepare-se com seu grupo para fazê-las acontecer.


Semana da Cidadania
Eixo temático: Trabalho
Tema: Trabalho para a vida e não para a morte
Lema: Juventude: suando e sonhando, em marcha contra a violência
Referencial teológico: “Venham trabalhar na minha vinha, dilatar meu Reino entre as nações” (Mateus, 20)


A Semana da Cidadania propõe o tema do trabalho, tão presente no mundo juvenil. A partir do tema da CF, a SdC inspira os grupos a refletirem o trabalho como modo de construção de sua identidade e produção de sentidos para a vida. Ao mesmo tempo problematizar a mercantilização da pessoa e de sua força criadora no sistema econômico vigente, provocando-nos a pensar em novas formas solidárias de trabalho.


Semana do Estudante
Eixo temático: Cultura
Tema: Cultura: nossa terra, nossa história e nossos sonhos
Lema: Juventude, muitas caras, muitas cores em marcha contra a violência
Referencial Teológico: “Na comunidade, partilhavam tudo entre si” (Atos dos Apóstolos, 2)


A Semana do Estudante traz um tema também muito próximo da realidade juvenil. Aprofundar o tema da cultura vai possibilitar aos grupos juvenis refletir o espaço comunitário, a beleza e o respeito à diversidade, o valor das culturas locais e do diferente. Enfim, a resistência e a memória, nossa terra, nossa história, nossos sonhos. A SdE continua dialogando com a CF e com a Campanha contra o Extermínio de jovens, por uma cultura da vida.


Dia Nacional da Juventude
Eixo temático: Jubileu 25 anos
Tema: Celebrando a memória e transformando a história
Lema: Juventude: muita reza, muita luta, muita festa, em marcha contra a violência
Referencial Teológico: “Abra a mão em favor do seu irmão, do seu pobre, na terra onde você está” (Deuteronômio 15)


O Dia Nacional da Juventude 2010 será tempo de dar graças pelos 25 anos, fazendo memória do tempo passado e projetando passos e sonhos para o futuro! Jubileu é tempo de revisar as dívidas, de dar a liberdade! O DNJ nos convida a refletir quais dívidas sociais o Brasil tem com a juventude? Vamos saná-las para um tempo de liberdade e vida?Jubileu também é tempo de organizar a “casa”. O que está acontecendo com a nossa “casa” (sociedade)? Que “casa” nós queremos para os próximos 25 anos? Muitas proposições que vamos poder aprofundar no DNJ.


As três Atividades Permanentes compõem um processo. Os temas propostos querem ajudar os grupos jovens a viver esse caminho refletindo as dívidas sociais com a juventude, o chão que pisamos, suas marcas e cores para celebrar, sonhar e participar da construção de um tempo de justiça, tempo de Reino. As Atividades deste ano querem também fortalecer a Campanha contra a violência e o extermínio de jovens, convidando a juventude para ir em marcha por outro mundo possível.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids

“O maior inimigo dos portadores de HIV não é o vírus, mas sim o preconceito, a discriminação e a solidão”. A avaliação de J. R. P., 41 anos, paulista e soropositivo há 20 anos, confirma o resultado da pesquisa “Percepção da qualidade de vida e do desempenho do sistema de saúde entre pacientes em terapia antirretroviral no Brasil”, realizada pela Fundação Oswaldo Cruz, do Rio de Janeiro.


Segundo o estudo, 65% dos 1260 entrevistados avaliaram seu estado de saúde como bom ou ótimo. O índice é superior ao da população geral, que fica em 53%. Em todo o país, 200 mil fazem o tratamento, de acordo com o Ministério da Saúde.

No entanto, a boa percepção do estado de saúde contrasta com problemas sociais e psicológicos enfrentados pelos portadores do vírus. “As pessoas hoje sabem o que é a doença, mas a convivência com os doentes ainda não é tranqüila. Em termos médicos, se avançou muito, mas no que concerne à discriminação pouco se avançou” afirma J. R. P..

Perdas sociais
A pesquisa identificou quais os maiores problemas enfrentados pelos portadores do vírus, e quatro das cinco respostas mais frequentes estão relacionadas a questões sociais. Apenas uma está relacionada com a evolução da doença. Trinta e seis vírgula cinco por cento responderam que a piora nas condições financeiras foi sua maior perda. Em seguida, está a piora na aparência física (33,7%) – a única realmente ligada à evolução da aids - , a discriminação social (20,9%), a perda do emprego e a falta de suporte familiar (16,2%). “O soropositivo ainda enfrenta dificuldades para ser aceito nas empresas. A Previdência Social diz que a pessoa está apta a trabalhar, mas as empresas exigem exame de HIV durante o processo seletivo. Sua renda cai, ele se sente discriminado e muitas vezes não encontra suporte na família”, relata J. R. P.. Mais de 20% dos entrevistados perderam o emprego após o diagnóstico.
E a discriminação não pára por aí. “Quando eu fazia faculdade, umas pessoas descobriram que eu era HIV positivo e sofri preconceito. Sou professor de ética e filosofia do ensino médio, mas nem meus alunos e nem mesmo os professores da escola sabem que eu tenho o vírus. Tudo isso gera depressão, baixa auto-estima e contribui para a evolução da doença”.

Ganhos
A autoavaliação acima da média sobre o estado de saúde está diretamente ligada a um maior e mais fácil acesso a hospitais e remédios. Além disso, fatores sociais como escolaridade e renda também impactam positivamente. Quanto mais altas forem essas duas, mais alta é a avaliação.


Pesquisa mostra: violência afeta jovens até nas escolas privadas



São graves as conclusões a que chegaram duas pesquisas envolvendo a juventude brasileira divulgadas ontem. Mostram que está em construção uma sociedade ainda mais violenta do que temos hoje. Nossos jovens, não importa a classe social ou cidade em que vivem, estão crescendo em ambiente hostil, em que a agressividade vai, aos poucos, suplantando o diálogo e a compreensão no relacionamento entre as pessoas.

É um alerta aos que insistem em supervalorizar certas conquistas, como a universalização do acesso à escola básica, o avanço da economia e sua bem-sucedida saída da crise internacional. A dura realidade é que ainda estamos muito longe de criar oportunidades reais de inserção da maioria dos jovens que se encaminham para vida adulta e falhamos na preparação dos cidadãos das próximas gerações de líderes, empreendedores, profissionais de todos os níveis, bem como futuros pais e educadores.

Um levantamento inédito, coordenado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), sob encomenda do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-MG), revela o verdadeiro drama que tem sido para os professores da rede privada de ensino conviver com a violência que seus alunos estão levando para o ambiente escolar.

Foram entrevistados 686 professores de Belo Horizonte sobre as manifestações de violência nas escolas. Até agora, os dados disponíveis sobre esse tema eram apenas relativos à escola pública. Mais da metade dos entrevistados (62%) presenciaram agressão verbal; 24% disseram ter presenciado agressão física; pelo menos 20% dos professores já viram tráfico de drogas em seu ambiente de trabalho.

A pesquisa mostrou ainda que pelo menos um em cada três professores da rede privada se sente intimidado e ameaçado pela violência dos alunos. A maioria deles (67%) não se acha preparada para enfrentar a violência no ambiente escolar, mas quase todos (95%) concordam que esse quadro de violência na escola tem solução.

Não menos impressionante é um estudo divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, organização não governamental (ONG) apartidária. O estudo cruzou dados a respeito de jovens de 12 a 29 anos que habitam 266 municípios com mais de 100 mil habitantes. Partindo da ideia de que violência não é só crime, combina informações socioeconômicas, número de homicídios, escolaridade, acesso ao mercado de trabalho, renda e moradia.

A conclusão é de que os jovens estão expostos a níveis de violência muito altos em 10 dessas cidades e altos em outras 33. O índice resultante desse coquetel de indicadores é mais elevado em cidades do interior do país, como Governador Valadares (5º lugar), deixando as grandes capitais em posição bem mais confortável. Mas não há nada a comemorar.

Pelo contrário. Assim como já avançou na conscientização da defesa do meio ambiente, a sociedade precisa organizar reação inteligente e rápida, no sentido de identificar as verdadeiras causas dessa violência e implementar as medidas com vista à sua eliminação. É tarefa para as autoridades. Mas a ela não podem se furtar os que têm alguma responsabilidade na orientação educacional ou social da juventude.

http://www.pj.org.br/2/src/site/noticia.php?id=904

domingo, 29 de novembro de 2009

Comissão organizadora nacional abre canal direto com a população pela internet


Discutir a internet na internet. Esta é a proposta da comissão organizadora da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) agora que se iniciou a segunda etapa do ciclo de debates rumo à plenária nacional. As discussões sobre a área de comunicação no Brasil estão abertas à sociedade. Primeiro, as conferências de comunicação realizadas em 26 estados e no Distrito Federal fomentaram este debate. Agora, a comissão organizadora abre um canal direto com a população para receber sugestões: a Conferência Virtual, que está disponível até 5 de dezembro no site oficial da 1ª Confecom (http://www.confecom.gov.br/).
Para participar da Conferência Virtual com perguntas e sugestões é preciso fazer um cadastramento prévio. É importante ler com atenção as regras de participação que aparecem logo no início do cadastramento do usuário.
A intenção da comissão organizadora é promover a discussão ampla sobre os novos meios de comunicação e as sugestões colhidas na Conferência Virtual serão reunidas em um documento a ser entregue aos delegados presentes à 1ª Confecom.
A etapa final da conferência ocorre entre 14 e 17 de dezembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Durante quatro dias, estes delegados vão pensar em soluções para a comunicação brasileira.
Cadastramento

O número de propostas apontadas pelas conferências de comunicação realizadas em 26 estados e no Distrito Federal está em torno de 3,5 mil. Todas estão sendo enviadas à comissão organizadora da Confecom.
O cadastramento das propostas no site da 1ª Confecom termina nesta sexta-feira, dia 27, e o cumprimento deste prazo é motivo de alerta feito às comissões organizadoras estaduais.
Somente com todas as propostas cadastradas em uma ferramenta disponível no site da conferência, poderá começar a próxima etapa do trabalho, que é a sistematização. O processo consiste em agrupar as propostas de acordo com os três eixos temáticos: “produção de conteúdo”, “meios de distribuição” e “cidadania: direitos e deveres”. Uma vez sistematizadas, as propostas serão publicadas no “Caderno de Propostas”, documento com o qual os 1.684 delegados trabalharão durante a plenária nacional.
O “Caderno de Propostas” será distribuído e publicado no site da Confecom para que os delegados conheçam de antemão as propostas apresentadas pelos demais estados.

JOVENS LANÇAM CAMPANHA CONTRA O EXTERMÍNIO DURANTE O ENCONTRO DE FÉ E POLÍTICA




Ontem (28 de novembro de 2009), jovens de todo Brasil participaram do ato de lançamento da campanha nacional contra a violência e o extermínio de jovens promovida pelas Pastorais da Juventude do Brasil (Pastoral da Juventude, Pastoral da Juventude Estudantil, Pastoral da Juventude Rural e Pastoral da Juventude do Meio Popular), com o apoio do Setor Juventude da CNBB e do Fundo Nacional de Solidariedade.
De acordo com o material distribuído durante o lançamento pela coordenação da campanha, a iniciativa é uma ação articulada por diversas organizações para levar a toda a sociedade o debate sobre as diversas formas de violência contra a juventude, através de ações de formação política, ações de massa e divulgação e intervenções de monitoramento da mídia contra a violação de direitos humanos.

A campanha vem sendo organizada desde maio de 2009 e conta com o apoio de inúmeras organizações de juventude de todo o país. Durante o lançamento, jovens das Pastorais da Juventude apresentaram os eixos da campanha e em seguida pintaram com as suas próprias mãos um grande painel representando a marca da campanha: várias mãos abertas indicando um “basta” a toda forma de violência.

Segundo Tábata Silveira, secretária nacional da Pastoral da Juventude Estudantil, a escolha do mês de novembro para o lançamento é uma forma de denunciar o aumento do número de mortes de jovens negros, bem como propor uma articulação das várias organizações que militam na linha do Movimento Fé e Política.
No próximo ano várias iniciativas são previstas pela campanha, como a realização de seminários estaduais e marchas locais no primeiro semestre e a construção de uma grande marcha nacional que está prevista para o segundo semestre de 2011.

Contatos da campanha: (71)88563012 - Hildete Emanuele ou (75) 99009605 – Felipe Freitas. E-mail: contraaviolencia.pjb@gmail.com


segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Ações afirmativas. Até que todos tenham oportunidades iguais

 
 
Hip hop, expressão da juventude de periferia
Energia solar: limpa e renovável
Sedentarismo traz doenças. Exercícios físicos, a vida.
O futuro da ciência são os problemas do presente
 
 Ações afirmativas por uma sociedade mais justa (p.12-13)
O termo ação afirmativa faz referência a um conjunto de políticas públicas destinadas a proteger minorias ou grupos sociais que tenham sido discriminados no passado. O desafio dessas políticas públicas é a retirada de barreiras, concretas ou não, que impedem a certos grupos o acesso pleno aos estudos, ao mercado de trabalho e aos direitos sociais e humanos. Ângela Guimarães, reafirma a importância das ações afirmativas como um caminho rumo à construção de um país onde as oportunidades realmente podem ser para todos.
Ângela Guimarães,
membro do Conselho Nacional de Juventude e integrante da Unegro,
Salvador, BA.
Endereço eletrônico: angelaguimaraes@gmail.com
 
Pedidos ao Mundo Jovem, a partir de 30 de novembro: mundojovem@pucrs.br ou pelos fones 0800-515200 (só para telefone fixo) e (51) 3320-3599.
Custo: R$ 29,00 - incluída a despesa de correio.
Pagamento: Depósito na conta: 707.311-9 - Ag 3305-7 do B. Brasil. Código Identificador é o número de seu CPF ou CNPJ.
 
 
 
 



Nota da CNBB pelo Dia da Consciência Negra


A cada 20 de novembro, celebra-se o dia da Consciência Negra, na memória do martírio de Zumbi dos Palmares. A memória desta data assume o caráter de celebração pela presença dos afro-brasileiros que, desde o início, vêm enriquecendo a história e a cultura brasileiras. Assume também o caráter de compromisso e responsabilidade na luta pela inserção cidadã dos negros e negras que vivem à margem da sociedade, em situações de miséria e exclusão social.

Congratulamo-nos com os afro-brasileiros e aproveitamos este momento de celebração e de compromisso, para chamar a atenção para a realidade de violência que atinge os adolescentes e jovens, especialmente os negros e negras, em nosso país. Fazemos este alerta a partir do princípio de que o cuidado com a vida humana deve atingir todas as suas fases, e é justamente na adolescência e juventude que a vida se encontra, em nossos dias, mais ameaçada.

A Igreja no Brasil, reconhecendo que os afro-brasileiros enriquecem a vida eclesial pela expressividade corporal, o enraizamento familiar e o sentido de Deus (Documento de Aparecida, 56), deseja que essa riqueza cultural seja partilhada na alegria de uma vida vivida com dignidade, e se faz solidária com todas as vítimas da violência. Oportunizar espaços de vida digna a todos, particularmente aos adolescentes e jovens, viabilizados pelo acesso à moradia, educação, saúde e alimentação adequadas, é caminho necessário para a superação dessa realidade perniciosa.

Reafirmamos o nosso compromisso no cuidado com a vida e lembramos a necessidade de continuar com as políticas afirmativas de inclusão da população negra, um caminho inequívoco de superação da miséria e exclusão social e de construção da cidadania.

Com as Bênçãos de Nossa Senhora Aparecida!


Brasília, 20 de novembro de 2009




Dom Geraldo Lyrio Rocha

Arcebispo de Mariana – MG

Presidente da CNBB



Dom Dimas Lara Barbosa

Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Secretário Geral da CNBB
  

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

ITEPAL oferece Curso de Especialização em Pastoral da Juventude

De 25 de janeiro a 19 de março de 2010, o Instituto Teológico Pastoral para América Latina – ITEPAL realizará o Curso de Especialização em Pastoral da Juventude, com o objetivo de aprofundar a identidade, os fundamentos e processos da pastoral da juventude, capacitando agentes para desenvolverem propostas pastorais que dêem novo dinamismo à evangelização dos/as jovens nas Igrejas locais.



Carmem Lucia Teixeira, Coordenadora Geral da CAJU, será uma das assessoras da atividade. Confira, abaixo, a programação da Especialização em Pastoral da Juventude:
Módulo I – FUNDAMENTOS PARA PASTORAL DA JUVENTUDE NA AMÉRICA LATINA (25 jan - 12 fev)

01. Conhecimentos essênciais dos agentes e diagnóstico pastoral (25-29 jna)

02. Realizadade da América Latina e culturas juvenis (01-05 feb)
03. Pastoral da Juventude e Pastoral Vocacional na pastoral de conjunto (08-12 fev)
Módulo II – IDENTIDADE E AÇÕES DA PASTORAL DA JUVENTUDE (15 fev - 19 mar)

04. P.J. Latinoamericana: memoria, desafíos e perspectivas (15-19 feb)

05. Fundamentos teológico-bíblicos da pastoral da juventude (22-26 fev)

06. Formacão integral dos jovens (01-05 mar)

07. Ministerio de assessoria e acompanhamento (08-12 mar)

08. Planejamento participativo e elaboração de projetos (15-19 mar)

Inscrições e maiores informações:
Endereço: Av. Boyacá n° 169D-75, Bogotá, D.C. –-Colômbia. Fones: (57-1) 667-0050; 587-9710 (Ext. 303). Fax: (57-1) 677-6521. E-mail: itepal@celam.org.

Página virtual: http://www.celam.org/itepal
fonte:  http://www.casadajuventude.org.br/index.php?option=content&task=view&id=2131&Itemid=2

Carta aos Grupos de Jovens da Pastoral da Juventude

“A Pastoral da juventude a certeza que o sonho pode acontecer!”

“Agradeço pelo empenho de tantas vozes dispersas até agora!


Vamos juntos/ as gritar, girar o mundo. Chega de violência e extermínio de Jovens”.


(Pe. Gisley – Assessor do Setor Juventude- CNBB)




Saudações jovens Pjoteiros/ as!


Companheiros/ as de utopia,

Como o nosso coração se alegra em saber que esta humilde carta neste momento chega até vocês. Saibam que em nenhum momento deixamos de pensar em cada um (a) de vocês, no mais distante lugar deste grandioso país. Nosso desejo de verdade, era poder estar em constante comunicação, partilhando nossas alegrias e os nossos desafios, escutando e estando mais perto de vocês, de forma mais intensa. Mesmo assim, sabemos que nossos ardores missionários se cruzam, comungam, e se unem na luta única, que é a construção da civilização do amor.

Em nossa reunião de abril deste ano, em Goiânia, vimos o quanto de ações os grupos de base fizeram e o que iriam fazer até o final deste ano, apesar das dificuldades que desafiam a caminhada. Vocês não imaginam a grande felicidade que nos invade, em saber que não estamos em silêncio nos quatro cantos do país. Todos nós sabemos que a existência desta desafiadora organização da Pastoral da Juventude se dá pelo empenho e doação de cada jovem, assessor (a), religioso (a), que fazem das suas vidas, uma vida de grupo.

Neste primeiro semestre, temos vivido muitas surpresas, algumas boas e outras assustadoras. Apesar da nossa grandiosa articulação, percebemos um pouco da nossa ausência na luta em defesa da vida da juventude de forma mais intensiva. O grande índice de jovens que são assassinados em nosso país nos leva urgentemente a pensar novas estratégias de intervenção, pedagogia e metodologia junto a esta causa. Vale ressaltar, o assassinato brutal com Pe. Gisley – Assessor Nacional do Setor Juventude, que nos marcou profundamente e nos motiva a politizar estas mortes jovens e transformar nossas lágrimas em águas - fonte de esperança na luta pela vida.

As nossas atividades permanentes como a Semana da Cidadania, Semana do Estudante e Dia Nacional da Juventude, são fundamentais para dizer por meio de ações concretas, reforçando e fazendo ecoar nossos princípios: NÃO A VIOLÊNCIA, NÃO A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL, NÃO A EXPLORAÇÃO SEXUAL INFANTO-JUVENIL, NÃO AO EXTERMÍNIO DE JOVENS, NÃO A TUDO QUE FERE A VIDA.

Um dos pontos vivenciados que ficou forte na pauta da nossa reunião foi os nossos 04 projetos e a publicação do “Corpo”. O Corpo (Um jeito de ser e fazer – orientações para a caminhada pastoral) é um material que pode unificar os grupos isolados da nossa organização. E falando em instancia, como se encontra cada jovem de seu grupo? E como está o relacionamento do grupo com a comunidade? E as Áreas Missionárias, diaconisa, paróquias, setores, foranias, Arquidioceses, Dioceses, prelazias, Regional e outros tantos que desconhecemos? Então, tudo isso deve estar em sintonia para o Corpo da Pastoral da Juventude funcionar. É! Sabemos que não é fácil manter tudo isso em sintonia, mais é muito inspirador e motivador poder ver tanta gente e tanta historia, trabalhando para uma sociedade livre de todo tipo de dores.

Nós, enquanto Coordenação e Assessoria Nacional, queremos rezar e por cada jovem e tantos outros que optaram para estar junto à juventude deste grandioso país, para que possamos continuar firmes em nossa caminhada, valentes a quaisquer desafios que aparecerem. Que nossos sonhos sejam mais reais e possíveis a partir das nossas novas estratégias missionárias junto aos jovens excluídos da sociedade. Que possamos servir o Deus da libertação, do pobre oprimido que caminha conosco nesse desafiador itinerário rumo a Civilização do Amor. Na companhia da Mãe Negra Aparecida que nos inspira e nos orienta no cotidiano Pjoteiro.

Com ternura na luta incessante,
Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude

Carta enviada por Thiago Oliveira
Secretário Regional da PJ

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Relógio - avaliação do grupo


Duração: 20 minutos


Material: Um relógio de papel e caneta ou lápis para cada participante.

Faça um relógio de papel, de ponteiros e com os numeros bem destacados, e escreva uma pergunta ou assunto para conversar em cada hora. Tire tantas cópias iguais, quantos forem os participantes.

Distribua os relógios, e um lápis ou caneta para cada pessoa. Peça que escrevam seu próprio nome no retângulo abaixo do relógio.
Agora todos devem caminhar e marcar um encontro para cada hora. Cada pessoa se apresenta a alguém e marca com ela um encontro - ambas devem então escrever o nome uma da outra, sobre o relógio no espaço da hora combinada. É necessário número par de participantes.
Quem já tiver preenchido todos os horários deve se sentar, para que fique mais fácil completar as agendas.

Quando todos tiverem marcado as horas, comece a brincadeira...

Diga as horas, por exemplo, "Uma hora". Cada um deve procurar o par com quem marcou o encontro da uma hora e conversar sobre a pergunta ou assunto marcado para aquele horário.

Essa é uma ótima dinâmica para discutir sobre vários assuntos. Sempre surgem opiniões e idéias novas.


http://www.pjmaringa.com.br/v9/pj-dinamicas/211-relogio-avaliacao-do-grupo.html

"Podem tirar-nos tudo, menos a esperança fiel" - Entrevista com Pedro Casaldáliga


Aos seus 81 anos, o bispo emérito da diocese de São Félix do Araguaia é um dos mais destacados representantes da Teologia da Libertação e se converteu em uma referência para a esquerda latino-americana.

Há quatro décadas, desde que chegou ao Brasil para ficar, seu trabalho em defesa dos direitos dos povos indígenas e dos grupos sociais mais oprimidos, assim como seu apoio aos movimentos brasileiros de agricultores sem terra e à revolução sandinista na Nicarágua nos anos 80 fazem com que Pedro Casaldáliga seja parte fundamental da memória viva da luta pela dignidade e pela libertação dos povos na América Latina.

A meados do mês de agosto, Pedro Casaldáliga recebia um grupo de ativistas sociais do Estado espanhol em sua humilde casa de São Félix, no estado brasileiro do Mato Grosso, para refletir que "a mundialização nos deu a oportunidade de reconhecer que somos uma só humanidade. Somos todos iguais, devemos ser assim, em dignidade e em oportunidades". Assim se dava início a uma conversa em que se tratou desde a situação política do Brasil até as perspectivas atuais da Teologia da Libertação, passando pelo modelo de consumo ou os desafios da esquerda latino-americana.

A reportagem é de Pedro Ramiro, María González Reyes e Luis González Reyes, publicada na revista Pueblos, nº 39, de setembro de 2009, e no sítio Religión Digital, 08-10-2009. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
 
confiram na íntegra http://www.redecelebra.com.br/boletim.php?id=86 ou http://www.ccj.org.br/site/noticias.php?op=VerNot&idNot=482
 

Festival Amani de arte e cultura africana


quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Bolívia reúne 21 países para pensar o Encontro de Responsáveis Nacionais da PJ




Encontro realizado de 25 a 30 de outubro na Bolívia reuniu em torno de 100 pessoas, de 21 países da América Latina, para aprofundar a Escuta à juventude. A atividade está pensada dentro do processo de Revitalização da ação Pastoral junto à juventude que nasce dos compromissos da 5ª Conferência Episcopal realizada em Aparecida/SP, resultante de uma ação missionária de sair ao encontro das pessoas para anunciar a vida nova anunciada por Jesus.

O Encontro aconteceu, na cidade de Cochabamba, Bolívia, com uma equipe muito organizada de acolhida. Foram feitas visitas ao Santuário de Nossa Senhora, festas apresentando a cultura de cada país e celebrações eucarística, além de uma comida muito diferente desta que estamos acostumados no Brasil, rica em variedade, no modo de preparar, com pratos muito raros e saborosos, fruto de uma memória e costumes dos povos indígenas. Esta é uma população marcadamente indígena - 80%. Os rostos empobrecidos/ as espalhados/as por onde passamos... Impressionam também, a simplicidade da vida e o modo de receber o povo.

A delegação do Brasil foi do Bispo responsável pelo Setor Juventude- CNBB, D. Eduardo Pinheiro, Pe. Sávio, também do Setor e o jovem Eric , da PJMP de Manaus, Tábata, Secretária Nacional da PJE , Hildete, Secretária Nacional da PJ.
O grupo assumiu continuar o caminho de revitalização desta ação evangelizadora no continente, preparando para o III Congresso que acontecerá nos dias 05 a 12 de setembro de 2010, na Venezuela. O Brasil terá 70 vagas e os Centros e Institutos da América Latina, cinco vagas.

Carmem Lucia Teixeira
Coordenadora Geral da Casa da Juventude Pe. Burnier.


quarta-feira, 4 de novembro de 2009

DINÂMICA PARA GRUPO


Dinâmica do coração

Objetivo: conhecer o outro e dar-se a conhecer, abrindo espaço para que cada um se apresente; buscando, com essa apresentação, maior intimidade entre os elementos do grupo; partilhando sentimentos, ideais, realizações, desejos e frustrações.

Ambiente: adequado para preservar a privacidade do grupo e permitir a acomodação de todos os participantes.

Material: folhas de papel sulfite e canetas hidrocor ou giz-de-cera para todos os participantes.

Desenvolvimento:

1) Entrega-se uma folha de papel sulfite a cada participante, que deverá desenhar um coração grande e escrever seu nome fora do coração. O coração deverá ser dividido em quatro partes.

2) Na primeira parte do coração, fazer um símbolo que relate um fato importante realizado por sua família (o maior acontecimento). Na segunda parte, desenhar sua maior realização pessoal. Na terceira parte, escrever a coisa mais importante que você pretende realizar nos próximos dois anos. Na quarta parte do coração, escrever, enfim, a maior decepção de sua vida.

3) Todos os participantes deverão pôr sua folha com o trabalho realizado no centro do círculo, compartilhando os resultados. Caso sintam necessidade, poderão comentar ou perguntar algo a respeito das respostas de seus colegas. A pessoa abordada terá liberdade para responder ou não à questão levantada. Compartilhar sentimentos e descobertas com o grupo.


Fonte: adaptação do livro Recriando experiências, Instituto de Pastoral de Juventude - Leste II, Ed. Paulus.

Dinâmica publicada junto ao artigo "Quem sabe o que é o amor?" na edição nº 387, jornal Mundo Jovem, junho de 2008, página 15.

http://www.mundojovem.com.br/dinamica-do-coracao.php 

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Pesquisa revela que quase 50% dos jovens brasileiros vivem na pobreza


Tatiana Félix *
 
A pesquisa "Síntese dos Indicadores Sociais", realizada no ano passado e divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no início deste mês, revela que quase 45% das crianças e adolescentes de até 17 anos estão vivendo em condições de pobreza ou miséria no Brasil. O percentual equivale a 11 milhões de cidadãos. Para realizar a pesquisa o IBGE se baseia no salário mínimo vigente. No ano passado, o valor era de R$ 415. O estudo considera que um pobre tem rendimento domiciliar mensal de até meio salário mínimo por pessoa, enquanto o extremo pobre tem renda per capita de até um quarto deste valor.
De acordo com o Pesquisador da Diretoria de Estudos Sociais do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), Sergei Soares, as crianças são as mais afetadas pela pobreza. "As crianças que são realmente pobres", afirma.
Ele justifica sua afirmativa dizendo que essas crianças têm pais jovens e que não conseguiram obter ainda estabilidade econômica. Ele informa que a pobreza no país tem um perfil específico. Segundo o pesquisador, os idosos constituem a minoria da população pobre. Em comparação à mesma pesquisa realizada em 1998, houve redução no nível da pobreza entre adolescentes até 17 anos. Na época, o estudo mostrou que 27,3% dessa faixa etária viviam em condições de extrema pobreza. Atualmente, esse percentual reduziu para 18,5%.
Na região Nordeste do País, embora a situação ainda seja preocupante, os índices apresentam melhoras. Há onze anos, a pobreza atingia 73,1% dos jovens nordestinos. Hoje, a taxa caiu para 66,7%. A região Sudeste apresenta menos da metade do índice nordestino, com 31,5% dos jovens vivendo nestas condições.
A melhora no Nordeste é atribuída aos programas sociais do Governo Federal, sobretudo o Bolsa Família. Para Sergei, a situação está melhorando rapidamente. "Quanto mais pobre a pessoa, mais importante o programa social", declara.
Além deste benefício, o pesquisador destaca que o salário mínimo e o crescimento econômico são também importantes na redução da pobreza. Segundo ele, é necessário que o Bolsa Família se torne um direito do cidadão, assim como é a aposentadoria.
Entretanto, Sergei considera que as pessoas que vivem em situação extremamente pobre não estão nestas condições por acaso. Ele diz que a falta de oportunidade numa cidade, por exemplo, a falta de capital humano e a falta de capital social, contribuem para isso.
Ainda de acordo com o IBGE, o índice de jovens d até 24 anos que têm ensino médio completo é de 36,8%. O dado revela que dobrou o número de jovens que concluíram essa faixa de escolaridade, já que em 1998 a taxa era de 18,1%.
Outro fator que chama a atenção são as desigualdades regionais. A região Sudeste, é a que apresenta o maior percentual (43,85%), seguida do Sul (37,7%), Centro-Oeste (35,4%), Norte (30,2%) e Nordeste (29,2%), com a taxa mais baixa.
A pesquisa também revelou que houve aumento no número de jovens universitários no Brasil, com idade entre 18 e 24 anos. Em 1998, quase 7% dos jovens nessa faixa etária estavam matriculados em uma universidade. Em 2008, a taxa subiu para 13,9%.


* Jornalista da Adital